LoginLogin
Marca
Modelo
Preço
Diâmetro
Ano
Localização
Leia mais
A sua escolha

A sua escolha

A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
Informações gerais
Tipo de relógio
Referência
Leia mais ...
Novo/usado
Disponibilidade
Sexo
Estado
Leia mais ...
Âmbito de fornecimento
Propriedades e funções
Corda
Material da caixa
Leia mais ...
Mostrador
Leia mais ...
Vidro
Funções
Leia mais ...
Altura
Leia mais ...
Material da luneta
Leia mais ...
Números do mostrador
Impermeável
Leia mais ...
Outro
Leia mais ...
Bracelete
Material da bracelete
Leia mais ...
Largura
Cor da bracelete
Leia mais ...
Material do fecho
Leia mais ...
Cancelar
Audemars Piguet Royal Oak Chronograph

Ordenar por

Audemars Piguet Royal Oak 18k Rose Gold Chronograph 26320OR.00... Audemars Piguet Royal Oak 18k Rose Gold Chronograph 26320OR.00...
R$ 69.608

Audemars Piguet Royal Oak Chronograph – Um cronógrafo elegante

O Audemars Piguet Royal Oak Chronograph é um dos melhores cronógrafos planos automáticos do mundo. Esta peça distingue-se pelos seus acabamentos perfeitos e por um calibre de excelência técnica. O seu design octogonal é absolutamente inconfundível.

Quais são as principais características do Audermars Piguet Royal Oak Chronograph?

  • Calibre ultraplano com 10,8 mm de espessura
  • Design inconfundível
  • Caixa em aço, titânio ou ouro de 18 quilates
  • Coroa e botões aparafusados
  • Modelo bastante mais acessível em termos de preço do que o idêntico Patek Philippe Nautilus Chronograph

Audemars Piguet Royal Oak Chronograph: um cronógrafo de culto

A Audemars Piguet apresentou o Royal Oak Chronograph em 1997, 25 anos depois do lançamento do lendário Royal Oak. A semelhança entre estes modelos é indiscutível: ambos possuem uma luneta octogonal e oito parafusos hexagonais. O design, concebido pelo célebre designer Gérald Genta, recorda a forma de uma escotilha e torna estes relógios inconfundíveis. Genta assinou também o design do Patek Philippe Nautilus e do Ingenieur SL da IWC (International Watch Company).
Ao contrário do Royal Oak de três ponteiros e data, o Royal Oak Chronograph é dotado – tal como o próprio nome indica – de uma função cronográfica que permite calcular intervalos de tempo. Esta peça inscreve-se, assim, na mesma linha do Royal Oak Offshore, uma versão mais desportiva do Royal Oak apresentada em 1993. O Offshore vem equipado com função cronográfica, apresentando uma espessura de 14 mm e um diâmetro de 44 mm – um tamanho imponente. Já o Royal Oak Chronograph é um relógio simultaneamente desportivo e elegante. No seu interior bate o calibre 2385, inspirado no movimento 1185, concebido pela Fréderic Piguet. Com os seus 5,5 mm de espessura, é um dos movimentos cronográficos automáticos mais planos do mundo. A caixa apresenta uma espessura de 11 mm, pelo que este relógio pode ser usado confortavelmente por baixo de uma camisa. O cronógrafo Royal Oak está disponível em aço inoxidável, titânio ou ouro rosa, branco ou amarelo de 18 quilates. O mostrador está disponível em várias cores: prateado, azul, preto ou castanho.

Quanto custa um Royal Oak Chronograph?

O Audemars Piguet Royal Oak Chronograph é ideal para os apreciadores de relógios ultraplanos com função cronográfica. O seu design inconfundível inspirado na escotilha de um navio é imediatamente identificado pelos conhecedores de relojoaria. O preço de um Royal Oak Chronograph em segunda mão ronda os 12.000 euros, no caso de se tratar de um exemplar com caixa em aço inoxidável em excelente estado de conservação. Um modelo de aço inoxidável novo custa cerca de 19.000 euros.
Se preferir relógios de ouro, conte com uma verba de pelo menos 20.000 euros, no caso de um exemplar usado. Um modelo novo em ouro alcança valores na ordem dos 40.000 euros. Se prescindir da bracelete em ouro, o preço baixa para 30.000 euros.
O grande rival do Royal Oak Chronograph é o Patek Philippe Nautilus Chronograph. Contudo, em termos de preço, o Royal Oak é bastante mais acessível. Um Nautilus em aço inoxidável usado custa cerca de 40.000 euros, ao passo que os modelos novos alcançam os 50.000 euros. Os relógios de ouro também apresentam diferenças de preço consideráveis. Um Nautilus de ouro com função cronográfica, usado e em bom estado de conservação, custa cerca de 60.000 euros. Um modelo novo ronda os 80.000 euros. Os cronógrafos da Patek são, pois, duas vezes mais caros do que o Royal Oak Chronograph.
Modelo Diâmetro Espessura Material Calibre Preço
Audemars Piguet Royal Oak Offshore Ref. 26470 42 mm 14,55 mm Aço inoxidável, ouro, platina 3126/3840 17.000 - 60.000 euros
Audemars Piguet Royal Oak Chronograph 39 mm ou 41 mm 10,8 mm Aço inoxidável, titânio, ouro 2385 12.000 - 55.000 euros
Patek Philippe Nautilus Chronograph 40,5 mm ou 44 mm 12,6 mm Aço inoxidável, aço e ouro, ouro CH 28-520 C 40.000 - 80.000 euros

Que variantes do Audemars Piguet Royal Oak Chronograph existem no mercado?

O Audermars Piguet Royal Oak Chronograph está atualmente disponível em mais de 20 versões diferentes, todas elas com o típico design inspirado na escotilha de um navio. Uma outra característica destes relógios é a luneta octogonal com os cantos arredondados. Oito parafusos hexagonais unem a luneta à caixa. Estes são fixados na parte posterior da caixa, pelo que as suas fissuras se encontram todas perfeitamente alinhadas, conferindo ao relógio uma estética harmoniosa. Tal como a coroa aparafusada, os botões aparafusados são hexagonais. A partir de 2012, a caixa cresceu de 39 mm para 41 mm. Com quase 11 mm de espessura, o Royal Oak é um relógio bastante plano e confortável de usar. A caixa está disponível em aço inoxidável, titânio ou ouro branco, amarelo ou rosa de 18 quilates.
O Royal Oak distingue-se ainda pelo famoso motivo tapesserie dos seus mostradores. A manufactura realiza os mostradores com decoração guilhoché com uma máquina automática que, além de rara, é bastante imponente. O mostrador do Royal Oak Chronograph está disponível em várias cores como o preto, o azul, o prateado e o castanho. Tratando-se de um cronógrafo, apresenta vários submostradores: pequenos segundos às 6 horas, contador dos 30 minutos às 3 horas e contador das 12 horas às 9 horas. A janela da data encontra-se posicionada entre as 4 e as 5 horas. O ponteiro central dos segundos serve para a função cronográfica, que permite medir frações de segundos.
A complementar esta peça, estão disponíveis diversas braceletes e correias. Tradicionalmente, o Royal Oak dispõe de uma bracelete clássica de metal que, de acordo com o material da caixa, tanto pode ser de aço inoxidável, de ouro ou de titânio. Estão também disponíveis braceletes de cauchu ou de pele de crocodilo, cosidas à mão. Os relógios de ouro possuem uma correia com fivela também em ouro.
O Royal Oak Chronograph apresenta acabamentos perfeitos. Os acabamentos de superfície polidos ou escovados são da mais elevada qualidade. A bracelete é discreta e adere confortavelmente ao pulso.

Características do Royal Oak Chronograph

  • Design marcante com luneta octogonal e parafusos hexagonais
  • Caixa em aço, titânio ou ouro branco, rosa ou amarelo
  • Diâmetros disponíveis: 39 mm ou 41 mm

Movimento plano: Royal Oak Chronograph equipado com o calibre 2385

A reduzida espessura do Royal Oak Chronograph é alcançada graças ao calibre 2385. Com uma espessura de apenas 5,5 mm, este é um dos calibres cronográficos de corda automática mais planos do mercado. Com efeito, o Valjoux 7750, um dos calibres cronográficos mais famosos da relojoaria, apresenta 7,9 mm de espessura, ou seja, 2,5 mm mais do que o 2385 da Audemars Piguet. Para quem não sabe, este calibre dá vida a inúmeros cronógrafos de marcas renomadas como a TAG Heuer, a IWC ou a Breitling.
O calibre 2385 da Audemars Piguet dispõe de uma reserva de marcha de 40 horas e oscila a uma frequência de 21.600 alternâncias por hora (3 Hz). É composto por um total de 304 peças. O rotor é fabricado em ouro de 18 quilates e carrega o movimento de forma unidirecional. A função cronográfica é controlada através de uma roda de colunas.
O calibre 2385 assenta a sua construção no calibre 1185, um movimento da Fréderic Piguet, que pertence ao grupo Swatch e fornece também internamente a marca Blancpain. A Vacheron Constantin também utiliza o calibre 1185 na sua coleção Overseas. Assim sendo, o Audemars Piguet não é dotado de um calibre de manufactura. Com efeito, existem poucas marcas relojoeiras, como é o caso por exemplo da Patek Philippe, capazes de fabricar de forma independente um calibre cronográfico. O cronógrafo Nautilus com a referência 5980 alberga o calibre CH 28-520 C. No fundo, é este pormenor que explica a diferença de preços existente entre o Nautilus Chronograph e o Royal Oak Chronograph.

Características do calibre 2385

  • Um dos calibres cronográficos mais planos do mercado, com apenas 5,5 mm
  • 40 horas de reserva de marcha
  • Calibre 1185 da F. Piguet como base