LoginLogin
1.254 relógios para "

Patek Philippe Nautilus

"
Marca
Modelo
Preço
Diâmetro
Ano
Localização
Leia mais
A sua escolha

A sua escolha

A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
Informações gerais
Tipo de relógio
Referência
Leia mais ...
Novo/usado
Disponibilidade
Sexo
Estado
Leia mais ...
Âmbito de fornecimento
Propriedades e funções
Corda
Material da caixa
Leia mais ...
Mostrador
Leia mais ...
Vidro
Leia mais ...
Funções
Leia mais ...
Altura
Leia mais ...
Material da luneta
Leia mais ...
Números do mostrador
Impermeável
Leia mais ...
Outro
Leia mais ...
Bracelete
Material da bracelete
Leia mais ...
Largura
Leia mais ...
Cor da bracelete
Leia mais ...
Material do fecho
Leia mais ...
Cancelar

Ordenar por

Patek Philippe Nautilus PP 5980A Blue Dial Patek Philippe Nautilus PP 5980A Blue Dial Pronto a expedir Preços mediante pedido SG 2015

Patek Philippe Nautilus – Uma lenda náutica

O Patek Philippe Nautilus é um verdadeiro ícone dos relógios de luxo. Este relógio desportivo é um dos mais procurados no mercado e, atualmente, está também disponível numa versão com cronógrafo e segundo fuso horário.

Destaques do Patek Philippe Nautilus

  • Um dos relógios desportivos mais cobiçados do mundo
  • Design inspirado numa escotilha com luneta octogonal de ângulos suavizados
  • A referência atual 5711 alberga o calibre de manufactura 324 S C
  • Modelo de topo: Nautilus Travel Time Chronograph (ref. 5990)
  • Caixa ultrafina em aço inoxidável, ouro maciço, platina ou aço/ouro

Patek Philippe Nautilus: relógios desportivos desde 1976

O Nautilus faz parte do catálogo da Patek Philippe há mais de 40 anos. O visual original deste relógio mantém-se praticamente inalterado desde que foi lançado em 1976. As suas principais características são uma luneta octogonal de ângulos suavizados, que se inspira na forma da escotilha de um navio, e um mostrador em relevo que lhe confere o caráter desportivo e elegante. Este relógio foi concebido pelo lendário designer de relógios Gérald Genta, que trabalhou com marcas como a Omega, a Audemars Piguet e a IWC. Outro relógio famoso assinado pelo designer foi o Royal Oak da Audemars Piguet, lançado em 1972. Genta apresentou o primeiro esboço deste modelo à Patek Philippe em 1974, mas demoraram dois anos até que ficassem definidas as características estéticas deste relógio com a referência 3700. Com ele, a Patek Philippe rompeu com a tradição de fabricar relógios exclusivamente em materiais nobres. Além do Royal Oak e do Nautilus, Genta concebeu também o IWC Ingenieur (ref. 1832), na década de 1970.
A Patek Philippe conta com mais de 175 anos de história. Antoine Norbert de Patek e François Czapek fundaram a empresa Czapek & Cie em 1839. Atualmente, esta é uma das últimas marcas de prestígio genebrinas de gestão familiar. A par do Nautilus, o Calatrava — um dresswatch clássico e intemporal — é um dos relógios mais apreciados da manufactura. Os modelos de complicações combinadas inseridos na coleção Grand Complications são frequentemente exaltados na imprensa especializada. Complicações como calendário perpétuo, cronógrafo rattrapante, turbilhão e repetição de minutos fazem parte do reportório da manufactura genebrina.

Patek Philippe Nautilus: conselhos de compra

Atualmente, o Nautilus é um dos modelos mais cobiçados da marca suíça. A procura é tão grande que existem listas de espera de vários anos. É claro que, por se tratar de uma peça exclusiva, o seu valor aumenta exponencialmente.
Os modelos com a referência 3800 encontram-se no mercado de segunda mão por cerca de 15.000 euros, ao passo que a versão de ouro de 18 quilates alcança os 23.000 euros. Os modelos atuais (ref. 5711) custam aproximadamente 23.000 euros, em segunda mão. A versão em ouro rosa (ref. 5711/1R) custa cerca de 45.000 euros.
O Patek Philippe Nautilus Lady tem um preço bastante mais acessível. Este relógio de senhora com um movimento de quartzo ronda os 4.000 euros, usado, e cerca de 20.000 euros, novo. O preço do primeiro Nautilus (ref. 3700) oscila entre os 30.000 e os 80.000 euros. Por causa da sua dimensão considerável de 42 mm de diâmetro, foi batizado pelos fãs da marca de "Jumbo".

Patek Philippe Nautilus: fiel ao espírito original

Quando a Patek Philippe apresentou o Nautilus em 1976, quebrou com todas as convenções. Um relógio em aço de design desportivo era algo totalmente inédito no catálogo da manufactura tradicional. Inicialmente, chocou os fãs da marca, mas, com o tempo, acabou por se tornar num verdadeiro ícone. O seu design manteve-se praticamente inalterado com o passar dos anos. Uma das suas características mais emblemáticas é a luneta octogonal de ângulos suavizados e a bracelete de elos polidos e escovados.
Introduzida em meados dos anos 1970, a caixa de 42 mm de diâmetro fez sensação. O diâmetro mais comum desta época era 36 mm e, por isso, os fãs acabaram por batizar o Nautilus de "Jumbo". A própria construção da caixa tinha algo de revolucionário, dado que era composta de duas partes: o monobloco e a luneta. Geralmente, os fabricantes utilizam uma caixa composta de três partes: o fundo, a parte central e a luneta. A caixa monobloco do Nautilus era dotada apenas de uma abertura para a coroa e o fundo era fixo por pressão. Entre estas duas peças, integrava-se uma junta. Esta combinação garantia uma resistência à água até 120 m (12 bar).
No que toca ao mostrador, a Patek Philippe optou por uma decoração horizontal em relevo que reforça o espírito náutico desta peça e lhe confere um toque mais desportivo do que um clássico guilhoché. Outra característica desportiva são os índices luminosos. Os ponteiros das horas e dos minutos são igualmente revestidos a massa luminescente.
O primeiro Nautilus era equipado pelo calibre 28-255 C, que assentava num Jaeger-LeCoultre. Na época, este era um dos calibres automáticos mais finos do mercado. Era dotado de uma janela para a data situada às 3 horas e media cerca de 3,15 mm de espessura.

As muitas versões do Patek Philippe Nautilus

A partir de princípios da década de 1980 surgiram diversas versões do Patek Philippe Nautilus. Entre elas, conta-se a versão com a referência 3800, um relógio com um tamanho padrão de 37,5 mm. Este modelo também está disponível em ouro maciço, platina e ainda uma versão bicolor que combina o ouro com o aço. Depois de a marca ter suspendido temporariamente a produção do Nautilus de grande tamanho, o modelo com a referência 3800 passou a ser a única peça desportiva no catálogo.
Em meados dos anos 90, a Patek Philippe lançou a referência 5060. Este relógio era fabricado em ouro e foi também o primeiro Nautilus a ser complementado por uma correia em pele. A outra novidade foi a caixa de três peças com uma coroa e um fundo aparafusados. A estanqueidade manteve-se nos 12 bar. Este modelo foi a fonte de inspiração para o outro modelo desportivo da casa: o Aquanaut.
Em 1998, a Patek Philippe apresentou uma reedição do Nautilus de "grande tamanho". Esta peça pode ser identificada pelo número de referência 3710/1A e é dotada de um indicador de reserva de marcha às 12 horas e algarismos romanos. Em meados de 2000, surgiu também uma versão em ouro branco de 18 quilates com fundo em vidro de safira. Nesta época foi lançado também o mais complicado Nautilus de sempre, com indicação de data, indicador de reserva de marcha e fases da lua. Este modelo bate ao ritmo do calibre 240 PS IRM C LU e possui a referência 3712/1A. Atualmente, este é um dos mais cobiçados relógios pelos colecionadores.

Patek Philippe Nautilus: uma história de mais de 40 anos

Em 2006, o Nautilus celebrou o seu 30.º aniversário. A Patek Philippe aproveitou esta ocasião para fazer algumas renovações ao modelo. Os flancos foram ligeiramente arqueados e o diâmetro do relógio com a referência 5711/1A cresceu para 43 mm. O modelo mais emblemático passou a ser a referência 5980 com um cronógrafo flyback. Em 2014, a marca lançou o Nautilus Travel Time com o número de referência 5990. O modelo incluía uma função de cronógrafo, segundo fuso horário, data e indicador dia/noite. Esta peça é alimentada pelo calibre automático CH 28-520 C FUS. Para manter a simetria e o paralelismo com os protetores da coroa no lado direito, os botões (+ e -) de controlo do segundo fuso horário surgem integrados na charneira da caixa, à esquerda.
A versão atual em aço possui o número de referência 5711. O relógio de três ponteiros é dotado, tal como o "Jumbo", de uma janela para a data situada às 3 horas. Ao contrário da primeira geração, esta caixa não mede mais do que 40 mm de diâmetro. O mostrador está disponível em azul noturno ou branco prateado. O calibre automático 324 S C apresenta uma espessura de 3,3 mm, resultando assim num relógio fino e elegante. Aloja um total de 213 peças e bate a 28.800 alternâncias/hora.