LoginLogin
622 relógios para "

Rolex GMT-Master

"
Marca
Modelo
Preço
Diâmetro
Ano
Localização
Leia mais
A sua escolha

A sua escolha

A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
Informações gerais
Tipo de relógio
Referência
Leia mais ...
Novo/usado
Disponibilidade
Sexo
Estado
Leia mais ...
Âmbito de fornecimento
Propriedades e funções
Corda
Material da caixa
Leia mais ...
Mostrador
Leia mais ...
Vidro
Leia mais ...
Funções
Leia mais ...
Altura
Leia mais ...
Material da luneta
Leia mais ...
Números do mostrador
Impermeável
Leia mais ...
Outro
Leia mais ...
Bracelete
Material da bracelete
Leia mais ...
Largura
Cor da bracelete
Leia mais ...
Material do fecho
Cancelar

Ordenar por

Rolex Gmt Master Bezel Com 5.5 Quilates De Diamantes Extras Rolex Gmt Master Bezel Com 5.5 Quilates De Diamantes Extras R$ 34.000

Acima das nuvens com o Rolex GMT-Master

Um relógio de piloto que é ao mesmo tempo uma peça de coleção: o GMT-Master. Desde há mais de 60 anos no mercado, este modelo já sofreu diversas alterações. O segundo fuso horário torna-o o companheiro ideal para viajar.

Destaques do GMT-Master

  • Relógio masculino exclusivo com segundo fuso horário
  • Investimento seguro com potencial de valorização
  • Luneta giratória bidirecional bicolor "Pepsi" (em azul/vermelho) ou "Coke" (em preto/vermelho)
  • Calibre de manufactura com precisão de cronómetro
  • Disponível em aço inoxidável, ouro maciço ou aço/ouro (bicolor)

Dois fusos horários para pilotos e revolucionários

O GMT-Master da Rolex foi criado na era de ouro da aviação comercial, com o início dos primeiros voos transatlânticos frequentes a criar a necessidade de se calcularem vários fusos horários. Tal como o Submariner ou o Daytona, o relógio com função GMT tornou-se um ícone e uma das mais cobiçadas peças de coleção. Alguns dos elementos que o distinguem são o ponteiro vermelho suplementar das horas e uma luneta com graduação de 24 horas, ambos essenciais à leitura do segundo fuso horário. Este é, pois, o companheiro de pulso ideal para o sofisticado viajante dos tempos modernos.
O GMT-Master fez a sua primeira aparição no grande ecrã no terceiro filme da saga de James Bond, 007- Contra Goldfinger, estreado em 1964. A inesquecível bond-girl, Pussy Galore (Honor Blackman), pode ser vista em várias cenas do filme com um GMT-Master no pulso: uma delas no cockpit de um avião, outra enquanto beija o famoso agente secreto de Sua Majestade. O ator Mel Gibson usa uma versão Pepsi, imediatamente identificável pela luneta vermelha e azul. Dizzy Gillespie, uma lenda do jazz norte-americano, possuía também esta versão. O ex-presidente de Cuba Fidel Castro é também um grande fã da marca genebrina. Quando derrubou a ditadura de Batista, em 1959, ostentava no pulso um Submariner, que mais tarde combinou com um Day-Date (este usado no pulso esquerdo). Fidel possui inclusive várias versões do GMT-Master, como por exemplo um relógio com a referência 6542, sem proteção de coroa e com uma luneta preta e vermelha (a chamada "Coke"), ou ainda o relógio com a referência 1675, com proteção de coroa e uma luneta preta. Nenhuma outra marca conseguiu apelar a um público tão diverso como a Rolex, que se mantém até aos dias de hoje uma das poucas manufacturas relojoeiras independentes suíças.

Conselhos para a compra de um GMT-Master

Se é um viajante frequente que se desloca constantemente entre duas zonas horárias, encontrará no Rolex GMT-Master um companheiro de pulso altamente fiável que tem o bónus adicional de ser um relógio com muito estilo. Com a ajuda do ponteiro suplementar e a graduação de 24 horas na luneta, poderá consultar dois fusos horários em simultâneo. Além disso, o GMT-Master é um dos modelos mais cobiçados pelos colecionadores, sobretudo as versões com a referência 6542 (primeira geração), 16750 ou a 16760 (o primeiro GMT-Master, também conhecido por "Fat Lady"). Isto significa que a compra de um GMT-Master é um investimento seguro. Os exemplares usados rondam os 5.000 euros, e os não usados em excelente estado de conservação estão disponíveis a partir dos 10.000 euros. O cobiçado Rolex Ref.ª 16750 encontra-se igualmente neste patamar de preços, a ultrapassar por vezes a barreira dos 5.000 ou mesmo dos 10.000 euros, no caso de versões que se encontrem em excelente estado de conservação. Já as versões da primeira geração do GMT-Master dos anos 1950 alcançam valores na ordem dos 40.000 euros, sendo que alguns exemplares extremamente bem conservados podem ir até aos 70.000 euros. Os modelos com os preços mais moderados são os Rolex com a referência 16760, a partir de 5.000 euros.

Dicas de compra

  • Cobiçado modelo de coleção
  • Referências mais procuradas: 6542, 16750 e 16760
  • Exemplares a partir de 5.000 euros, com potencial de valorização
  • Modelos em aço, em aço/ouro (bicolor) ou em ouro maciço de 18 quilates
  • Alternativas: Omega Seamaster Planet Ocean 600 M GMT, Breitling Chronomat 44 GMT, IWC Ingenieur Dual Time

GMT-Master: construído para pilotos

O GMT-Master voa em redor do globo no pulso de pilotos e viajantes há já mais de meio século. O modelo original foi desenvolvido em 1955 em parceria com a companhia aérea Pan American World Airways (Pan-Am), que encomendou à marca da coroa um relógio que permitisse a visualização imediata de dois fusos horários. O relógio foi depois adotado como relógio oficial da companhia de aviação, sendo que a tripulação usava um modelo com um mostrador preto, ao passo que o pessoal de terra tinha modelos com mostrador branco.
A designação do modelo deriva precisamente da complicação relojoeira apelidada de função GMT (Greenwich Mean Time) ou dual time. Esta consiste na possibilidade de visualização imediata de dois fusos horários através de dois ponteiros das horas posicionados no centro do mostrador – o ponteiro principal e um suplementar, diferenciado através da sua cor, que completa uma rotação em 24 horas, com leitura sobre uma escala de 24 horas situada na luneta. Este sistema não requer grande mestria técnica e é usado pela maioria das casas relojoeiras. Para visualizar os dois fusos horários é simples: o ponteiro principal das horas pode ser alterado para o tempo local no destino, mantendo-se o ponteiro suplementar com o tempo de origem, que é indicado na escala de 24 horas. O modelo original dos pilotos da Pan Am na década de 50 possuía uma luneta com escala bicolor de 24 horas (azul escuro para indicar a noite, vermelho para indicar o dia), que ficou conhecida pelo nome de "Pepsi". Absolutamente inconfundível, este depressa tornou-se um relógio de culto. Mais tarde, a Rolex optou por uma combinação distinta para a luneta, juntando o preto e o vermelho. Esta versão recebeu o cognome de "Coke".
Os primeiros Rolex GMT-Master possuíam uma luneta de resina baquelite, o primeiro plástico totalmente sintético criado pelo inventor belga Leo Baekeland. A Rolex utilizava este material devido às suas propriedades antirreflexo. Contudo, não era muito resistente às oscilações de temperatura no cockpit, pelo que depressa foi substituído pelo alumínio. Atualmente, os modelos com luneta em baquelite são extremamente raros e particularmente procurados por colecionadores.
Tal como o Submariner de 1953, o primeiro GMT-Master não dispunha de proteção da coroa. A lupa de aumento sobre a data era opcional e a estanqueidade proporcionada era até 50 m. Em 1960, é lançada a segunda geração do GMT-Master com a referência 1675. Estes modelos receberam uma novíssima luneta mais ampla e uma proteção da coroa.
Em 1981, os GMT-Master com a referência 16750 foi substituído pela versão 1675. Com a apresentação do novo modelo, a Rolex introduziu também o calibre de manufactura 3075, que veio substituir os mecanismos 1565 e 1575, até então utilizados. Como este modelo só foi comercializado até 1988, é atualmente bastante raro e muito apreciado por colecionadores. No final da década de 1980, o vidro de safira substituiu o Plexiglass, que se riscava facilmente. A partir dessa data, o modelo passou a ter a referência 16700, alimentado pelo calibre 3175. No final dos anos 90, a Rolex abandonou a massa luminescente em trítio e introduziu a SuperLuminova. Pouco tempo depois, a marca deixou de comercializar o GMT-Master e passou a produzir apenas o GMT-Master II.

GMT-Master II: o "Fat Lady"

Em meados da década de 1980, a Rolex apresentou o GMT-Master II. Os relógios com a referência 16760 assentavam na mesma estética do GMT-Master, mas foram os primeiros a dispor de uma luneta bicolor em preto e vermelho (a chamada "Coke") e um vidro de safira, estando inicialmente apenas disponíveis em aço. A grande novidade, porém, foi o calibre 3085, que permitia acertar o ponteiro das horas de forma independente a partir da coroa, sem que os restantes ponteiros (minutos, segundos e o ponteiro suplementar para o segundo fuso horário) se movessem. Desta forma, era possível ajustar facilmente a hora para outro fuso horário, sem ser necessário rodar a luneta. Puxando a coroa para a posição 2 e girando-a no sentido dos ponteiros do relógio, ou no sentido inverso, o ponteiro das horas move-se em incrementos de meia hora de cada vez, sem afetar o ponteiro dos minutos ou dos segundos. Nesta posição é também possível acertar a data. Na posição 3, o relógio para e é possível ajustar os minutos. Este modelo recebeu o apelido de "Fat Lady", devido à sua espessura de caixa com 5 mm mais do que a versão predecessora.
Em 2007, o emblemático GMT-Master II recebeu uma nova modificação estrutural, sem, contudo, perder as suas características estéticas essenciais, como aliás é costume da marca da coroa. A alteração mais marcante foi a introdução da luneta em cerâmica preta, um material bastante mais resistente aos riscos do que o alumínio utilizado nos modelos anteriores. Outra novidade foi a coroa de rosca com o sistema Triplock de tripla impermeabilidade. Para a sua primeira luneta bicolor em cerâmica, a Rolex escolheu juntar o preto e o azul num modelo em aço que ficou conhecido por "Batman", em 2013. Nestas versões do GMT-Master a motorização é feita pelo movimento mecânico de corda automática, calibre Rolex 3186, certificado pelo COSC (Contrôle Officiel Suisse des Chronomètres) como é habitual nos movimentos da Rolex. O calibre 3186 inclui uma espiral Parachrom paramagnética com curva terminal Breguet, fabricada numa liga de zircónio e nióbio, extremamente resistente a oscilações de temperatura e a choques. O balanço com sistema de ajuste Microstella - uma valência técnica típica da Rolex - corrige possíveis adiantamentos ou atrasos do relógio, assegurando a sua elevada precisão cronométrica.

Características do GMT-Master II

  • Lançado em 1985
  • Calibre 3186 com espiral Parachrom paramagnética
  • GMT-Master ref.ª 16760 com calibre 3085 e vidro de safira ("Fat Lady")
  • Desde 2007 com luneta de cerâmica Cerachrom e coroa de rosca Triplock

O lado opulento de um relógio de culto

Segundo rumores, a Rolex é a marca relojoeira que mais ouro utiliza nos modelos que concebe. Aliás, a marca tem uma fundição própria e uma liga de ouro específica denominada Everose. Por conseguinte, o GMT-Master surgiu não só em versões em aço, como também em ouro branco, ouro amarelo, ou ainda em ouro/aço (bicolor). Devido às suas particularidades estéticas, alguns modelos vintage em ouro foram batizados pelos aficionados italianos da Rolex de "occhio di tigre" (olho de tigre), por possuírem uma luneta bicolor em castanho e ouro e um mostrador castanho cujas cores se assemelham às da pedra homónima; já os fãs americanos batizaram esse mesmo modelo de "Root Beer", um popular refrigerante nos Estados Unidos. A curiosa alcunha "Nipple Dial" designa um modelo com indexes revestidos com trítio, que têm a particularidade de estar mais sobressaídos no mostrador do que os restantes indexes.

De relógio de piloto a relógio de culto

Concebido originalmente como um instrumento para responder às necessidades da aviação civil, o GMT-Master é o relógio do viajante por excelência. A precisão e a fiabilidade do relógio de piloto acabaram por seduzir também os astronautas da NASA, que o escolheram para usar nas missões Apollo à Lua, apesar de o relógio oficial eleito pela agência espacial ter sido o Omega Speedmaster Professional. Ao longo dos anos, tornou-se um instrumento de culto muito procurado por colecionadores, tendo o modelo histórico sido reeditado nos anos 80 sob o nome GMT-Master II. Os relógios da marca da coroa são investimentos seguros, com potencial de valorização.