LoginLogin
2.977 relógios para "

Tudor

"
Marca
Modelo
Preço
Diâmetro
Ano
Localização
Leia mais
A sua escolha

A sua escolha

A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
A sua escolha

A sua pesquisa não obteve resultados
Informações gerais
Tipo de relógio
Referência
Leia mais ...
Novo/usado
Disponibilidade
Sexo
Estado
Leia mais ...
Âmbito de fornecimento
Propriedades e funções
Corda
Material da caixa
Leia mais ...
Mostrador
Leia mais ...
Vidro
Leia mais ...
Funções
Leia mais ...
Altura
Leia mais ...
Material da luneta
Leia mais ...
Números do mostrador
Impermeável
Leia mais ...
Outro
Leia mais ...
Bracelete
Material da bracelete
Leia mais ...
Largura
Leia mais ...
Cor da bracelete
Leia mais ...
Material do fecho
Leia mais ...
Cancelar

Ordenar por

Tudor Heritage Chrono Tudor Heritage Chrono R$ 13.900
Tudor Prince Date Tudor Prince Date R$ 7.366

Tudor – Simbiose perfeita entre performance e estilo

A Tudor notabilizou-se na relojoaria contemporânea pelas suas atraentes reinterpretações de modelos do passado. A manufatura suíça beneficia do superlativo know-how da casa-mãe Rolex e oferece relógios de qualidade a preços imbatíveis.

A Tudor nasceu da ideia de Hans Wilsdorf, após fundar e registar a Rolex, em 1908, de criar uma segunda marca com uma excelente relação preço/qualidade, mas numa gama de preços mais acessível. Assim, em 1946, funda a empresa Montres Tudor S.A., cujo nome se inspira na dinastia Tudor, que governou a Inglaterra de 1485 a 1603. O logótipo escolhido pela marca foi a rosa da realeza britânica, inserida num escudo, que traduzia a união entre a robustez e a beleza dos relógios da marca.
O catálogo atual da Tudor define-se por estes mesmos princípios, ramificando-se a sua coleção em nove linhas, que integram versões femininas e masculinas: Heritage, Grantour, Fastrider, North Flag, Pelagos, Style, Clair de Rose, Glamour e Classic. Desde cronógrafos de mergulho desportivos com um look neo-vintage a relógios clássicos e elegantes, o catálogo é vasto e para todos os gostos. Os modelos North Flag e Pelagos foram os primeiros a vir equipados com um movimento de manufatura da marca, em 2015, o que reflete o investimento desta numa estratégia de independência, dado que até essa data equipava os seus modelos com calibres da ETA, empresa produtora de mecanismos de base pertencente ao Grupo Swatch.

Os modelos Heritage: relógios de mergulho com função de alarme

A linha Heritage compõe-se de relógios que reinterpretam clássicos do passado. Em todos os relógios desta gama, a Tudor mergulha no tempo para redescobrir os códigos estéticos dos modelos que lhe serviram de inspiração. No caso do relógio de mergulho Black Bay, por exemplo, a Tudor foi resgatar ao baú elementos estéticos do Tudor Submariner, um modelo marcante lançado em 1954. Alguns dos elementos do modelo contemporâneo, que é estanque até 200 m, são um mostrador convexo e uma coroa de grandes dimensões adornada com a rosa da Tudor. Vêm equipados com uma luneta rotativa unidirecional nas cores preta, cor de vinho ou azul, esta última designada pelos apreciadores da marca de "Midnight Blue". O toque final é dado pela bracelete em aço com anexos em forma de tubo, em alternativa uma bracelete em tecido ou uma correia de couro envelhecido. No interior, encontra-se o movimento de corda automática Calibre ETA 2824, que oscila a 28.800 alt/h e possui 38 horas de reserva de corda.
Os cronógrafos Tudor Heritage Chrono inspiram-se no famoso Tudor Oysterdate Chronograph, original de 1970, década em que também a Omega e a Tag Heuer lançavam cronógrafos desportivos como o Speedmaster e o Carrera. Em vez de uma reprodução exata, a marca introduziu pequenas alterações no Heritage Chrono que resultam numa reinterpretação moderna do icónico cronógrafo. As cores mantêm-se e são típicas da década de 70: o tom laranja surge harmoniosamente conjugado com o preto e o cinza (disponível com mostrador preto com totalizadores cinza ou mostrador cinza com totalizadores pretos). Essa combinação está igualmente presente na surpreendente bracelete de tecido (com fecho inspirado nos antigos cintos de segurança), também incluída no estojo, para complementar a de aço. Em alternativa, a Tudor propõe, ainda, o Tudor Heritage Chrono Blue, um modelo dotado de mostrador azul. O mecanismo deste modelo assenta num calibre automático ETA 2892, que, graças a um módulo adicional, dispõe de pequenos segundos às 3 horas e um totalizador cronográfico de 45 minutos localizado às 9 horas. A janela da data encontra-se às 6 horas.
O Heritage Ranger é uma homenagem ao Tudor Oyster Prince Ranger, lançado pela marca em 1967, e evoca o modelo que acompanhou os exploradores da expedição britânica British North Greenland Expedition ao norte da Gronelândia, em 1952. Todos os 26 membros da expedição receberam um exemplar do relógio, concebido para enfrentar os mais duros desafios polares. Este beneficiava de desenvolvimentos da Rolex, como a caixa estanque e os mecanismos automáticos. O novo modelo lançado pela Tudor preserva o espírito original que contribuiu para criar a reputação do histórico modelo, modernizando-o com pequenos detalhes subtis. O relógio de 3 ponteiros oferece uma surpreendente legibilidade com indexes, algarismos e ponteiros pintados com material luminoso, para um efeito envelhecido. Com um formato mais contemporâneo do que o da sua fonte de inspiração, a caixa do Tudor Heritage Ranger mede 41 mm de diâmetro e tem um acabamento em aço acetinado. O mostrador preto mate com o logótipo da rosa Tudor é convexo, tal como o vidro em safira, elementos reminiscentes dos relógios históricos. A coroa rosqueada de grandes dimensões oferece uma estanqueidade até 150 m. No interior, bate o movimento automático calibre 2824 da ETA. O Heritage Ranger está disponível em diferentes variantes: bracelete em aço; em tecido com um padrão camuflado; em alternativa, uma correia em pele decorada com tachas com uma fivela de fecho com acabamento acetinado. Esta última variante resulta num relógio com um look robusto e fiável, ideal para aventureiros e exploradores.
Outro modelo integrado na coleção Heritage é o Tudor Heritage Advisor, que reinterpreta o relógio com alarme mecânico lançado em 1957, apresentando uma função mecânica completamente distinta: a função de alarme. Esta consiste num módulo integralmente criado pela Tudor que complementa o mecanismo de base automático. O Advisor do século XXI retira do modelo de 1957 diversos elementos estéticos, mas os aperfeiçoamentos são evidentes: a caixa foi ampliada, passando de 34 mm para um diâmetro mais contemporâneo: 42 mm. A coroa, situada às 2 horas e gravada com o nome Advisor, permite definir a hora do despertador, enquanto a das 4 horas, decorada com a rosa Tudor do modelo original, permite aceder às funções de corda, de acerto da hora e da data. O indicador da reserva de corda do alarme/despertador é apresentado no mostrador através de um disco às 3 horas. A função é ativada através de um botão às 8 horas que está associado a uma janela de indicação ‘on/off’ às 9 horas. Tal como noutros modelos da Tudor, o Advisor está disponível com várias opções de braceletes: uma bracelete em aço acetinado vintage, uma correia em pele de crocodilo com fecho de báscula dotado de um novo sistema de segurança (que inclui esferas de cerâmica) e uma bracelete vintage de tecido negro tipo NATO com remates de cetim, bem ao estilo retro-chique que caracteriza a linha da Tudor.

Relógios modernos e desportivos com movimentos de manufatura

A Tudor apresenta duas linhas no seu catálogo, equipadas com um movimento de manufatura, que têm sido um sucesso desde o seu lançamento, em 2010: os relógios desportivos Pelagos e North Flag. Este último é um "autêntico instrumento científico", concebido para enfrentar condições extremas nas regiões mais frias do planeta. O que distingue este cronómetro de qualquer outro é o facto de vir equipado com o primeiro calibre de fabrico próprio na história da Tudor — o MT5621. Este movimento automático oscila a uma frequência de 28.800 alternâncias/hora (4 Hz) e vem equipado com um oscilador de inércia variável e uma espiral de silício, que garantem a sua resistência a campos magnéticos. O movimento dispõe de um sistema automático bidirecional, ostentando a certificação de cronómetro atribuído pelo COSC. A data com mudança instantânea e ajuste rápido encontra-se posicionada às 3 horas. O movimento proporciona ainda uma excecional autonomia de 70 horas, cuja indicação em forma de disco se encontra às 9 h. A caixa mede 33,8 mm de diâmetro para 6,5 mm de espessura. Através do fundo em vidro de safira podem observar-se os diversos componentes do calibre.
Como é típico da marca, a estética do Northflag recupera certos elementos de estilo do passado, nomeadamente a apurada geometria da caixa com bracelete integrada, típica da década de 70, que também se viu nos Rolex Ref. 1530 ou no Tudor Ranger II, que lhe confere uma extraordinária clareza visual. Apesar destas referências, o North Flag é um relógio do século XXI, com um ADN muito próprio. O look de instrumento técnico é alcançado pelos acabamentos da caixa e da luneta em aço polido e acetinado, complementado pelo anel de cerâmica preta mate. O mostrador preto mate é realçado por apontamentos de cor em amarelo vivo, com ponteiros, indexes e algarismos luminescentes. Mas são sobretudo as braceletes que tornam a personalidade do North Flag completamente distinta. A Tudor propõe duas variantes: uma correia de tela técnica com costuras amarelas e interior forrado em pele amarela ou uma bracelete em aço.
O relógio de mergulho Pelagos é o outro modelo da Tudor a vir equipado com um movimento de manufatura. Disponível em preto e azul, é estanque até 500 m de profundidade e vem equipado com uma válvula de hélio. A função desta válvula é a de poder deixar escapar os átomos de hélio que, por serem mais pequenos, penetram na caixa através dos vedantes, evitando, assim, que o vidro do relógio salte devido à pressão acumulada. Ao contrário do calibre MT5621, que equipa o North Flag, o movimento de manufatura MT5612 com certificado COSC prescinde da indicação de reserva de marcha, resultando num relógio que exibe apenas os ponteiros convencionais da hora, dos minutos e dos segundos no mostrador. A caixa do relógio é concebida em titânio escovado, um material mais resistente à corrosão pela água do mar. A luneta giratória unidirecional, também em titânio, com disco em cerâmica, apresenta um detalhe inédito: a superluminova é diretamente injetada na cerâmica (em lugar de ser aplicada depois de esta ser finalizada), o que torna o seu brilho mais intenso. Outra particularidade é a utilização de matéria luminescente azul, um truque usado nos relógios da empresa irmã Rolex, cuja duração é mais longa. O sistema de fecho da bracelete em titânio é a cereja no topo do bolo. Trata-se de um fecho de báscula com um sistema de auto-ajustamento patenteado, fruto do trabalho conjunto de designers, de mergulhadores profissionais e de engenheiros. Esta solução técnica vem dar resposta a um problema comum dos relógios de mergulho: quanto mais se desce em profundidade, maior é a pressão exercida pela água sobre o corpo e o equipamento. Ora, o fecho do relógio é ajustado antes da descida, mas a alguns metros de profundidade o fato de neopreno comprime-se com a pressão e faz com que o relógio fique mais solto, havendo o risco de este se perder ou ficar danificado. O fecho de auto-ajustamento patenteado pela Tudor resolve este problema com um sistema de molas incorporado no fecho, compensando, por sua vez, a perda de volume do pulso por causa da compressão na descida; o mesmo acontece na fase da subida, com o fecho a ajustar-se sem qualquer necessidade de intervenção do utilizador.

Fastrider e Grantour – Desportivos e potentes

A gama de cronógrafos Fastrider surge da associação da Tudor à famosa marca italiana de motas Ducati. Trata-se de uma linha de cronógrafos particularmente desportiva, inspirada na Ducati Scrambler, cujos mostradores surgem nas mesmas cores marcantes da pintura da mota: verde-azeitona, vermelho-vivo e amarelo-forte, com três totalizadores contrastantes que se inspiram no design da mota.  À semelhança da Ducati, o Fastrider evoca um espírito jovem e rebelde, cujos pormenores vintage recriam uma cultura de auto-expressão e de liberdade. A caixa monobloco em aço do Fastrider mede 42 mm de diâmetro e possui acabamento escovado. A luneta em cerâmica preto-mate com taquímetro gravado reforça o espírito desportivo, juntamente com o tratamento PVD nos botões e na coroa em aço. O Fastrider é alimentado pelo conhecido  calibre Valjoux 7750 que tantas provas de fiabilidade tem dado ao longo  dos anos e conta com uma autonomia de 46 horas. Tem ainda a particularidade de incluir um corretor rápido para a data no flanco esquerdo. A Tudor dedica sempre muita atenção às correias/braceletes e apresenta uma excelente proposta no Fastrider: uma correia inspirada nos assentos de pele das motas clássicas, com padrão ondulado que realça o caráter rétro. Em alternativa, está também disponível uma bracelete em cauchu.
A linha de cronógrafos automáticos Fastrider inclui, ainda, um modelo num look monocromático em preto mate, denominado Fastrider Black Shield. A caixa monobloco tem a particularidade de ser inteiramente fabricada em cerâmica injetada de alta tecnologia, o que torna este relógio particularmente leve e imune a riscos. O Tudor Fastrider Black Shield está disponível em três versões que combinam o preto mate da caixa e do mostrador com o tom branco, o vermelho ou o bronze dos ponteiros e índices. Este último está disponível com pulseira de cauchu ou alcântara bege com costura preta. O interior alberga o calibre Valjoux 7753.
A linha de cronógrafos Grantour é dedicada a entusiastas do desporto motorizado e celebra o papel da Tudor enquanto patrocinadora da FIA World Endurance Championship. Com um visual desportivo moderno, não faltam alguns pormenores vintage que conferem imensa personalidade a este relógio. Os modelos dispõem de uma caixa em aço de 42 mm ou de uma caixa bicolor em aço e ouro rosé de 18 quilates. Entre os modelos propostos, destaca-se o Grantour Chrono Fly-back, que incorpora a função flyback. Esta reposiciona os ponteiros do cronógrafo a zero e reinicia-os sem que seja necessário pará-los para voltar a colocar a zero. Os modelos Grantour estão disponíveis com bracelete de aço de três fileiras, sendo a central polida ou dois tipos de correia de pele (furada ou microperfurada).

Elegância e sofisticação Tudor

Os relógios apresentados nas linhas Style, Classic e Glamour inspiram-se nos códigos estéticos dos relógios clássicos, aliando a elegância e a sofisticação à funcionalidade. Visualmente, os modelos Date-Day das linhas Glamour e Classic apresentam muitas semelhanças a alguns modelos da Rolex, sobretudo a caixa, que faz lembrar a caixa em forma de "almofada" do Rolex Oyster. A data pode ser lida às 3 h e a indicação do dia por extenso às 12 h. Estão disponíveis versões bicolores em aço e ouro amarelo de 18 quilates, com indexes de diamantes. Todos os relógios destas linhas vêm equipados com fiáveis calibres da ETA.
A pensar no seu público feminino, a Tudor lançou o Clair de Rose, que se distingue pela sua delicada caixa em aço com 26 mm de diâmetro. Extremamente gracioso e feminino, apresenta um mostrador madrepérola enriquecido por detalhes, como um ponteiro de segundos central adornado com a rosa Tudor. Estão disponíveis versões bicolores em aço/ouro amarelo de 18 quilates.
Com linhas elegantes e sofisticadas, a linha Tudor Style inspira-se nos relógios clássicos dos anos 50 e 70. São relógios rétro-chic, que unem mestria técnica a uma elegância intemporal. Os mostradores lacados brilham nos tons champanhe ou prateado com acabamento raiado, sendo, também, possível adquirir uma versão em preto brilhante. As caixas estão disponíveis em quatro tamanhos: 28, 34, 38 e 41 mm de diâmetro. A par de uma versão base em aço, a linha apresenta, ainda, modelos bicolores de aço e de ouro amarelo. As superfícies são alternadamente polidas e acetinadas.

União da estética à precisão

Há mais de 7 décadas que a "irmã mais nova" da Rolex produz relógios robustos e, simultaneamente, elegantes. São poucas as marcas que conseguem esta combinação de performance com estilo a preços acessíveis. Desde muito cedo, a marca apostou em campanhas de marketing pouco convencionais: num dos seus cartazes publicitários dos anos 50, por exemplo, viam-se pessoas a fazer trabalhos pesados. Os relógios Tudor viajaram até ao circulo Polar, estiveram em trabalhos mineiros debaixo de terra, no pulso de trabalhadores de estradas que abriam o asfalto com martelos pneumáticos. A Tudor beneficiou sempre da longa experiência da Rolex. Caso, por exemplo, dos modelos Oyster Prince, que incorporavam um rotor desenvolvido pela Rolex para o movimento automático. Este mecanismo, apelidado de Perpetual, por bastar o movimento do braço para que o rotor carregasse a corda do relógio, era exclusivo das duas marcas. Atualmente, ambas pertencem à Fundação Hans Wilsdorf.