3.722 relógios para "

Rolex Submariner

"
1 - 30 de 3.722 resultados
Vista
Ordenar por

Rolex Submariner: "The Diver’s Friend"

Em 1953, a Rolex apresentou ao mundo o mais imprescindível dos relógios de mergulho: o Rolex Submariner. Os relógios estanques até 100 m com mostrador preto mate e luneta giratória graduada são ainda hoje um dos mais cobiçados relógios de coleção.

Destaques do Rolex Submariner

  • Um dos primeiros e mais célebres relógios de mergulho do mundo
  • Cobiçados relógios de coleção: o "Red Sub" e o "Comex"
  • Calibres 3130 e 3135 (data): mecanismos mecânicos de nova geração
  • Design com características únicas imediatamente reconhecíveis
  • Investimento seguro com elevado potencial de valorização

Rolex Submariner: um gadget digno de agentes secretos e de pilotos de competição

O público especializado mal conseguiu sair do estado de estupefação da primeira vez que pôs a vista num Rolex Submariner. Com efeito, o relógio apresentado pela Rolex era totalmente inédito, e ainda hoje é uma referência incontornável no universo dos relógios de mergulho. O primeiro Submariner tinha a referência 6204 e apresentava um mostrador preto mate com grandes ponteiros e indexes luminescentes. Num pequeno letreiro colocado ao lado, por ocasião da sua apresentação, lia-se: "Submariner – the diver’s friend". O relógio ganhou um carisma ainda mais especial no grande ecrã. No primeiro filme da saga de James Bond, Sean Connery usou um Submariner Ref.ª 6538, que ficou para a história com o nome de "James Bond Sub". O Submariner Ref.ª 5513, que foi leiloado pela Christie’s em novembro de 2011, foi usado por Roger Moore, em 1973, no filme 007 – Vive e Deixa Morrer. À exceção destes, desconhecem-se quais foram os outros relógios usados pelo agente secreto mais famoso do mundo. Desde 1995, o espião ao serviço de sua Majestade passou a preferir os modelos da marca suíça Omega.
Embora Steve McQueen não fosse agente secreto, o ator e piloto americano não passava sem a robustez e a precisão do seu Submariner. Numa fotografia sua tirada nos anos setenta, o ator ostenta no pulso um Submariner Ref.ª 5512. O famoso revolucionário Che Guevara também teve um Submariner como fiel companheiro no pulso. Os Submariner são, pois, relógios muito versáteis, e não apenas um instrumento indispensável para mergulhadores. Ficam tão bem com o fato de piloto de McQueen como com o smoking de James Bond. Por causa da sua longa história, porém, este é e permanece sempre, como refere a própria Rolex, "o arquétipo do relógio de mergulho".

Conselhos para a compra de um Rolex Submariner

Se procura um relógio mecânico de mergulho prestigiado e imediatamente identificável, o Rolex Submariner é a peça perfeita para si. O design dos Submariner é mundialmente famoso e quase não sofreu alterações nas últimas décadas. Os modelos mais recentes foram aperfeiçoados com modificações como a luneta em Cerachrom (cerâmica antirrisco e à prova de raios ultravioleta) e calibres de última geração, considerados os melhores do mercado. São robustos, fiáveis e altamente precisos. A compra de um Submariner é, acima de tudo, um investimento, dado que os modelos mais cobiçados têm um enorme potencial de valorização. Poderá encontrar modelos usados em bom estado a partir de preços que rondam os 4.000 e 5.000 euros; os modelos não usados custam cerca de 6.000 euros. As versões bicolores em aço e ouro amarelo de 18 quilates rondam os 9.000 euros. Já as variantes em ouro amarelo maciço de 18 quilates começam nos 20.000 euros. Os modelos vintage mais cobiçados, como o "Red Sub" com a referência n.º 1680 têm preços muito variados, dependendo do seu estado de conservação (entre os 10.000 e os 30.000 euros). Neste segmento de preços encontra-se também o emblemático Submariner Comex (Compagnie Maritime d’ Expertises). Alguns exemplares bem conservados dos anos 70 chegam mesmo a alcançar os 10.000 euros.

Dicas para a compra de um Rolex Submariner

  • Entrada no mundo do Submariner a partir de 4.000 euros (usado) ou 6.000 euros (modelos não usados)
  • Versões bicolores a partir de 9.000 euros e exemplares em ouro amarelo de 18 quilates a partir de cerca de 20.000 euros
  • Relógios vintage raros: "Red Sub", "Tropical Dial" e "Comex"
  • Estanque até 30 bares (300 m)
  • Rolex Sea-Dweller 4000 (1.220 m) e Rolex Sea-Dweller Deepsea (3.900 m) sem lupa Cyclops sobre a janela da data e com estanqueidade melhorada

Modelos idênticos de outras marcas

Design intemporal, técnica avançada

O design dos Submariners não sofreu senão alterações subtis ao longo dos anos. A partir de 1959, alguns modelos passaram a apresentar uma caixa de maiores dimensões e uma proteção para a coroa de dupla rosca. Em 1966, surge ainda uma versão com data. Seguiram-se outras alterações, nomeadamente ao nível da bracelete Oyster, cujas partes laterais passaram a ser polidas, ou a introdução de asas que não eram totalmente perfuradas.
Atualmente, o Submariner apresenta uma estanqueidade a 300 metros e uma luneta rotativa unidirecional com graduações de 60 minutos, que só pode ser rodada no sentido oposto ao dos ponteiros do relógio. Este é um recurso de segurança que se tornou obrigatório em relógios de mergulho. Outra particularidade é o disco de luneta cerâmica Cerachrom, um material extremamente resistente aos riscos patenteado pela Rolex. Tanto a cápsula do marcador do zero como os indexes e os ponteiros são revestidos de luminescência Chromalight, o que lhes confere uma tonalidade azulada quando brilham no escuro. Este material luminescente possui um brilho de maior duração do que a convencional SuperLuminova. Adicionalmente, os numerais e os indexes são revestidos a pó de platina. Os ponteiros são convexos e, tal como os indexes do mostrador, são em ouro. O vidro de safira é mais resistente aos choques comparativamente aos modelos anteriores.
O Submariner oferece um elevado nível de conforto, quer por se tratar de um relógio particularmente leve (pesa apenas 150 g), quer pelos acabamentos da caixa e da bracelete com arestas suavizadas em aço polido. Além disso, a bracelete possui um sistema de extensão rápida patenteado pela Rolex, o chamado Glidelock, que permite o uso do relógio sobre o fato de mergulho. A completar, o fecho Oysterlock impede aberturas acidentais.

Calibres de manufactura de última geração

O Submariner com indicação da data e a característica lupa Cyclops sobre a janela da data alberga um mecanismo relojoeiro de suprema qualidade devidamente certificado pelo Controlo Oficial Suíço de Cronometria: o calibre 3135. A manufactura produz este movimento nas suas instalações de Bienne desde 1989, tendo-o aperfeiçoado ao longo dos anos com inúmeras inovações que contribuem para a sua excelente precisão e desempenho. Este mecanismo de exceção encontra-se oculto por detrás de um fundo em aço inoxidável, mas vale a pena inspecionarmos os seus detalhes: a primeira coisa que salta à vista são as particulares rodas vermelhas do rotor. Trata-se de um sistema de inversores que permite ao rotor dar corda ao movimento em ambos os sentidos de rotação, recarregando mais rapidamente o tambor. Logo, reparamos na espiral de coloração azul. Esta é a espiral Parachrom com curva terminal Breguet, desenvolvida e patenteada pela Rolex, feita a partir de uma liga paramagnética que protege o mecanismo dos efeitos adversos do inimigo número um do movimento: o magnetismo..
A curva terminal Breguet permite a obtenção de um melhor isocronismo e foi inventada pelo famoso relojoeiro Abraham-Louis Breguet, em 1795. O balanço Glucydur possui parafusos de regulação Microstella que eliminam a necessidade de um regulador convencional. Estes parafusos de ajuste em forma de estrela (daí o nome) encontram-se colocados na zona interior do balanço e movimentam-se tanto para um lado como para o outro, variando o momento de inércia do balanço e, consequentemente, a sua frequência de funcionamento. Desta forma, são corrigidos eventuais adiantamentos ou atrasos da marcha do relógio. O toque final é dado pelos vários acabamentos decorativos das superfícies, incluindo a decoração perlage das partes visíveis das pontes. Os modelos sem data vêm equipados com o calibre 3130, também este certificado pelo COSC. Ambos os movimentos são considerados pelos especialistas em relojoaria os melhores movimentos automáticos disponíveis no mercado.

Principais características técnicas

  • Calibres de manufactura 3130 e 3135 (data) certificados pelo COSC e pela própria Rolex
  • Calibres 3130 e 3135 considerados os melhores movimentos automáticos de sempre
  • Espiral antimagnética Parachrom com curva terminal Breguet
  • Stop-seconds para ajuste preciso da hora
  • Ajuste fino Microstella

O "Red Sub": peça de coleção hipercobiçada

Alguns relógios Rolex são capazes de fazer bater desenfreadamente os corações dos seus fãs. O chamado "Red Sub" é um desses modelos com elevado valor de coleção. A Rolex produziu o Submariner Ref.ª 1680 entre 1967 e 1980. Até 1974, a inscrição "Submariner" encontrava-se estampada no mostrador a letras vermelhas, daí o relógio ter recebido a alcunha de "Red Sub". O mostrador é, pois, um indicador importante da autenticidade da peça. Entre 1967 e 1974, existiram várias versões de mostradores, designados de Mark I a Mark VI, sendo que as mudanças mais significativas ocorreram entre as versões Mark III e Mark IV. Os mostradores Mark I a Mark III são conhecidos entre os especialistas pelo nome de "Meters First", por possuírem a inscrição "200 m = 660 ft". A partir da versão Mark IV, começam a ser designados de "Feet First" porque os pés se antepuseram aos metros. Relógios com o mostrador Mark I são versões extremamente raras do "Red Sub". A sua característica mais distintiva são os seis fechados em "660 ft".
Os Submariners com "mostradores exóticos" castanhos são extremamente raros e ocorrem apenas nas versões Mark II e Mark III. Acredita-se que a cor castanha adquirida pelo mostrador se deve a um defeito de fabrico que afetou apenas uma pequena fração de relógios, o que os torna atualmente peças raras, procuradas por colecionadores de todo o mundo. Existe um grande número de teorias e mistérios acerca destes relógios, mas pensa-se que o que conduziu à descoloração do mostrador preto foi um erro nas proporções de mistura da tinta ou a presença de impurezas na mesma, fazendo com que a cor sofresse alterações pelos efeitos do sol, da humidade e do calor. Existem várias formas de reconhecer a autenticidade destas peças raras, sendo que uma delas é a correspondência de cor da pátina (oxidação) dos ponteiros e do mostrador. Com efeito, este detalhe da passagem do tempo torna cada exemplar único.
Outro pormenor importante a ter em atenção na compra de um "Red Sub" é a legibilidade do número de referência e do número de série. Nos primeiros modelos pode ainda ler-se a data de produção no fundo da caixa, que é concordante com a do número de série.
Os numerais e indexes com fontes espessas já gastas na luneta são também uma boa indicação da autenticidade de um "Red Sub". As versões posteriores apresentam letras mais finas. A maior parte dos relógios perdeu a pérola de trítio que se encontrava na marcação do zero, ou esta encontra-se danificada, já sem o material luminescente. Uma vez que a pérola não faz parte do conjunto visual do mostrador, a sua cor não tem de ser exatamente idêntica.
O interior dos Submariner Vintage alberga o calibre automático 1575, que, ao contrário do 1570, possui indicação de data. O calibre 1575 equipa também outros modelos como o Sea-Dweller Ref.ª 1665 ou o GMT-Master Ref.ª 1675.

Rolex Submariner: modelo de sucesso desde 1953

O Submariner entrou para a história da relojoaria nas últimas seis décadas, tendo-se transformado num relógio emblemático mundialmente famoso. O protótipo Deepsea Challenge bateu em 2012 um novo recorde de profundidade ao alcançar quase 12.000 m de profundidade na Fossa das Marianas. O antepassado deste modelo, o primeiro Submariner de 1953, com a referência 6200, possuía uma impermeabilidade de até 100 m, graças ao revolucionário sistema de fecho duplo da coroa, o chamado Twinlock, desenvolvido pela Rolex. A luneta giratória deste modelo era ainda bidirecional e permitia aos mergulhadores controlar o tempo de imersão decorrido mediante o marcador do zero. Uma função bastante útil que aumentava consideravelmente a segurança do mergulho. Outro notável relógio de mergulho, também lançado nesse ano, era o Fifty Fathoms da Blancpain que vinha já equipado com uma luneta que apenas rodava no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio. Isto era sinónimo de uma maior segurança, visto que deste modo não havia o risco de o mergulhador movimentar inadvertidamente a escala.
O maior contribuidor para o desenvolvimento do Rolex Submariner foi René-Paul Jeanneret. Sendo o então presidente da Rolex um apaixonado por mergulho, apresentou diversas sugestões relativamente à construção da caixa e da luneta, que acabaram por ter um papel determinante na conceção do Submariner. O relógio foi experimentado em diversos testes e num total de 132 mergulhos em profundidades entre os 12 e os 60 m, confirmando-se, de todas as vezes, o seu perfeito hermetismo. Conta-se inclusive que, certo dia, caiu de uma altura de 2 m em cima de uma placa de cimento, sem que isso afetasse minimamente o seu bom funcionamento. O único estrago visível foi uma lasca na massa luminescente do ponteiro das horas. Após 1957, a Rolex passou a propor um Submariner estanque até 200 m, que foi adotado como relógio oficial pela Marinha do Reino Unido, da Austrália e do Canadá.
O ano de 1953 revelou-se um ano particularmente profícuo na história da relojoaria, devido a uma sequência de notáveis acontecimentos. Em agosto de 1953, o neozelandês Sir Edmund P. Hillary e o xerpa Tenzing Norgay alcançavam pela primeira vez na história o cume do Monte Evereste. Na difícil escalada ao pico mais alto do mundo, os alpinistas iam acompanhados pelo Oyster Perpetual. A Rolex foi um dos patrocinadores desta expedição, liderada por Sir John Hunt. O patrocínio visava sobretudo testar a fiabilidade e a resistência dos relógios automáticos em condições reais. Após a expedição, Sir Hillary enviou o seu relógio, acompanhado por notas pessoais, de volta para Genebra. As informações obtidas, e subsequentes testes realizados pela Rolex, conduziram ao desenvolvimento do Rolex Explorer, um relógio para os mais intrépidos exploradores e aventureiros.

Outros modelos da Submariner: Submariner (No Date) | Submariner Date