16.973 relógios para "

Omega relógios

"
1 - 30 de 16.973 resultados
Vista
Ordenar por

Na Chrono24 encontra no total 9.013 relógios novos Omega e 7.398 relógios usados Omega .

Omega: Das profundezas do oceano ao espaço

A Omega é incontestavelmente uma das 5 melhores marcas de relógios suíços. Definida por um espírito pioneiro, esta manufatura deixou a sua marca na história: o Omega foi o primeiro relógio a ir à Lua e registou os mais importantes eventos desportivos do mundo.

A manufatura de Bienne notabilizou-se pelos seus relógios de elevada qualidade, alguns dos quais lendários, que se demarcam pela sua robustez e precisão. O cronógrafo desportivo Omega Speedmaster é um bom exemplo desta excelência. No dia 20 de julho de 1969, Neil Armstrong e Buzz Aldrin davam os primeiros passos na Lua. No pulso de Aldrin, o Speedmaster Professional tornou-se o primeiro relógio a pisar a Lua. Não foi por acaso que a NASA escolheu este relógio como cronómetro oficial do seu programa espacial. A agência espacial norte-americana submeteu cronómetros de várias marcas a testes exaustivos: fortes diferenças de temperatura, pressão, vácuo, choque, vibração, aceleração e outras adversidades. O Omega Speedmaster foi o único que resistiu. Antes da viagem à Lua, o Omega Speedmaster Professional já tinha sido escolhido pela NASA para o programa Gemini, no qual, pela primeira vez, os astronautas realizaram atividades extraveiculares. Voltou a fazer história quando foi usado pelos astronautas na missão lunar Apollo 13, em 1970. Com a nave espacial avariada, a tripulação tinha de cronometrar com absoluta precisão os 14 segundos necessários para a ignição dos propulsores e efetuar a correção de curso que lhes permitiria regressar à Terra. Os 14 segundos que salvaram a vida destes astronautas foram cronometrados com um Omega Speedmaster. Assim nasce um mito.

Mergulho a 1.200 metros de profundidade

No reino do mar, o Seamaster é soberano. Este, o Blancpain Fifty Fathoms e o Rolex Submariner formam a tríade dos mais conhecidos relógios de mergulho suíços. A linha Seamaster surgiu em 1947, sendo que, na época, não era ainda um relógio profissional de mergulho, mas apenas um modelo masculino com elevada estanqueidade. O primeiro relógio de mergulho profissional surge em 1957, com o lançamento do Automatic Seamaster 300. Seguiram-se vários outros modelos, quer mecânicos, quer com movimentos de quartzo, muitos deles marcos históricos na longa ligação da Omega ao mar. Alguns modelos incluem atributos de relógios profissionais para mergulhadores, como uma válvula de escape de hélio, que permite regular a pressão em mergulhos em águas profundas, com duração de vários dias. O Seamaster Professional 600, mais conhecido pelo nome de PloProf (Plongeur Professionnel), resultado de 4 anos de intensos testes e pesquisas, é estanque até 120 bar (1.200 m de profundidade).

Omega Constellation - Elegância no masculino

A linha Omega Constellation segue o elevado grau de exigência técnica presente no Speedmaster e Seamaster. Esta linha surgiu em 1952, caracterizando-se por grande elegância em modelos de três ponteiros. Ao longo dos anos, a linha evoluiu, tanto em termos de design como de funções. Os modelos surgidos em 1980 passaram a incluir uma luneta fixa com algarismos romanos. Pouco depois, a Omega introduziu as chamadas "griffes" ou garras, posicionadas às três e às nove horas. A renovação do design, fez-se também acompanhar de novidades técnicas, como um mecanismo de quartzo da mais elevada qualidade. Na linha Constellation, o destaque vai para o «Marine Chronometer», conhecido como o relógio de pulso mais preciso do mundo. Desde 1967, a coleção passou a integrar uma série de relógios dirigida exclusivamente a público feminino com um design luxuoso em ouro e pedras preciosas.
A Omega tem uma linha ainda mais clássica do que a linha Constellation: A De Ville apela ao gosto de quem aprecia relógios ao estilo das manufaturas Blancpain ou Breguet. É por isso que nesta coleção se encontram relógios com elementos como números romanos, mecanismo turbilhão, assim como caixas fabricadas em ouro branco, amarelo ou rosa, que conferem a estas peças um estilo elegante e clássico. Esta série, nascida nos anos sessenta, caracteriza-se por diamantes engastados na luneta.

Omega nos Jogos Olímpicos

A história desta famosa casa relojoeira começa no distante ano de 1848. Nessa época, o jovem Louis Brandt decidiu abrir uma oficina de fabrico de relógios de bolso na aldeia suíça de La Chaux-de-Fonds, no cantão de Neuchâtel. Este relojoeiro, que trabalhava com outros pequenos artesãos da região, conseguiu comercializar as suas peças em países como a Itália, o Reino Unido, e até na região da Escandinávia. Alguns anos mais tarde, a pequena empresa relojoeira, que gozava já de grande reputação, passou a ser gerida pelos filhos de Brandt. Foram eles quem deu o grande impulso à empresa, quando começaram a fabricar os seus próprios movimentos e transferiram a sede para Bienne, no cantão de Berna. Contudo, foi só em 1903, quando a direção foi assumida pela terceira geração, que o nome Omega foi oficialmente registado. Nesse mesmo ano, a empresa aliou-se à Tissot para fazer frente à crise causada pela Primeira Guerra Mundial. Sem nunca perder a sua identidade, a Omega continuou a produzir relógios de luxo, ao passo que a Tissot manteve como público-alvo a classe média. Com a chegada do quartzo, a situação mudou por completo para ambas as casas relojoeiras, submergindo o setor numa crise que só foi superada em 1983 com a criação do Grupo Swatch, ao qual a Omega ainda pertence hoje.
A Omega teve um papel crucial ao longo da história da relojoaria, distinguindo-se pelo seu espírito inovador e pioneiro. Entre as suas grandes inovações técnicas conta-se o primeiro relógio de pulso com repetição de minutos, lançado em 1892. Tratava-se de uma complicação totalmente inovadora para a época. Devido à elevada precisão cronométrica dos seus relógios, a Omega foi nomeada cronometrista oficial nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1932. A famosa casa suíça introduziu a primeira cronometragem eletrónica nos jogos de Helsínquia, em 1952.
Nos anos setenta, a Omega volta a surpreender, desta feita com o lançamento de um cronómetro com movimento de quartzo. Porém, foi com o calibre 1525 - que dá vida a um cronómetro produzido para a Marinha francesa - que a marca superou todas as expectativas em matéria de precisão cronométrica: em um ano este apresentava menos de 5 segundos de desvio horário. Tratando-se de uma edição especial feita por encomenda, foi entregue com uma belíssima caixa de madeira com ferragens em latão.

Agentes secretos, reis e comunistas. Omega no pulso de famosas personalidades.

Hoje, a Omega confia a produção dos seus calibres à ETA, o mais importante fabricante de movimentos do mundo, embelezando-os e refinando-os para os vender, posteriormente, sob o seu nome. Entre eles, distingue-se o revolucionário escape coaxial apresentado em 1999, que garante uma maior eficiência graças à redução de fricção no movimento. A primeira coleção a ser equipada com este sistema foi a De Ville. O escape coaxial foi concebido pelo relojoeiro britânico George Daniels nos anos setenta, baseando-se no calibre ETA 2892-A2, e é um dos mecanismos mais inovadores do nosso tempo. Atualmente, a Omega inclui-o em muitos dos seus modelos, facilmente reconhecíveis pela inscrição “Co-Axial” no mostrador.
Uma das últimas inovações da marca suíça prende-se com a resistência aos campos magnéticos. Em outubro de 2013, a Omega lançou o modelo Seamaster Aqua Terra, que marca o início de uma nova geração de relógios com um calibre que desafia o magnetismo de mais de 15000 gauss. Este extraordinário feito deveu-se à utilização de materiais como o silício, um elemento semicondutor, que permitiu resolver um problema que foi sempre uma fonte de preocupação para os relojoeiros: o magnetismo. Em 2015, a marca apresentou o seu próprio selo de qualidade para relógios antimagnéticos.
As vantagens de se ter um Omega no pulso são sobejamente conhecidas, tanto por personalidades reais como fictícias. Quem melhor as conhecerá será o agente secreto James Bond que usou o modelo Seamaster no filme GoldenEye, de 1995. O oceanógrafo francês Jacques-Yves Cousteau também pôs à prova um Seamaster nas suas expedições subaquáticas. Outra celebridade que não se separava do seu Omega Seamaster Calender foi o rei do Rock, Elvis Presley. As grandes celebridades não foram, contudo, as únicas que souberam apreciar a suprema qualidade destas peças únicas. Personalidades históricas como o presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy ou o líder chinês Mao Zedong elegeram um Omega para os seus pulsos. Inclusive o líder da União Soviética Michail Gorbatschow foi visto com um modelo da série Constellation. Não nos podemos esquecer do ator Tom Hanks, que usa orgulhosamente no pulso um Speedmaster Professional como recordação do seu papel protagonista no filme Apollo 13.

Melhores modelos da Omega
Seamaster | Speedmaster | Constellation | De Ville | Genève | Globemaster